A plenitude de Deus em nós

A plenitude de Deus em nós

Baixe essa lição aqui

 

Efésios 3:19

“E conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus.”

 

Introdução

Quando temos que falar alguma coisa para as pessoas que estão no mundo ou dentro da igreja, devemos falar das Boas Novas do Evangelho. Este tem boas notícias para nós. As boas notícias do evangelho é que o Reino de Deus é chegado a nós. Mas o que isso significa de fato?

Quando as pessoas perguntavam a Jesus o que fazer para ter a vida eterna; para o jovem rico Jesus perguntou se ele observava as leis. Ele disse que sim, desde criança. Neste caso o jovem estava próximo do Reino. Jesus citou primeiro os mandamentos que se relacionam com o próximo, os chamados mandamentos recíprocos. Jesus, então pede para ele vender tudo o que tinha e para dar aos pobres. Dessa forma, ele alcançaria o Reino de Deus. Jesus estava falando de atitudes.

Ao falar que o Reino de Deus é chegado, não estamos falando da Eternidade, mas do tempo em que vivemos HOJE. Devemos ter um projeto de vida, para agora, para esta vida, para este tempo.

Jesus entra na nossa vida e nos dá prioridades. Mas priorizar o que? Pessoas e vidas. Pensamos em Deus como um ser distante, num céu inacessível, sob um trono de glória. Oramos pedindo para Deus interferir na nossa família, cidade e na nossa vida. Parece um Deus distante que precisa ser convidado. Em outras palavras, um Deus mecânico que traz sua caixa de ferramentas a fim de consertar todo o estrago que fizemos.

Mecânico do Universo, esta é a forma como nos relacionamos com Deus. Esta é nossa concepção de Deus, daí pensamos que quando oramos e nada acontece é porque pedimos mal ou não é da vontade d’Ele. Não importa o que aconteça, sempre procuramos justificativas externas. Julgamos que nada acontece em nossa vida porque pensamos num Deus alheio a tudo, que está de fora de tudo, inclusive da nossa vida.

Deus quer atuar em seu interior e trabalhar dentro de você. O desejo d’Ele é atuar com Seu poder, dentro de você e através de você. Deus atua a partir de você, mas antes, ele atua em você.

 

Colossenses 1:24-29. Cristo está em nós. A fadiga e preocupação de Paulo é que as pessoas tenham o conhecimento de Cristo, em nós. O apóstolo geme, sofre com gemidos de dor de parto, para que Cristo esteja em nós. Cristo deseja entrar em cada cômodo da sua casa. Quando Cristo vive e se move dentro de mim, então posso proclamar que o Reino de Deus é chegado. A partir daí, todas as atitudes mudam, de dentro para fora. A ideia não é um Deus fora, mas a plenitude d’Ele dentro de nós. (Filipenses 3:10)

Paulo, ao dizer que pode todas as coisas naquele que o fortalece, em outras palavras, está dizendo que pode encarar qualquer situação, porque Deus habita dentro dele e o capacita a enfrentar e superar qualquer situação. Se Cristo habitar em você, você poderá enfrentar qualquer coisa. Não estará isento de problemas ou dificuldades, mas enfrentará cada uma delas e terá a garantia da vitória. São apenas circunstâncias e Deus não pode ser limitado por elas.

Quando precisamos de alguma coisa, oramos e pedimos a Deus que faça a sua obra. Deus não quer fazer alguma coisa por você e depois ir embora. Deus não tem apenas ação externa. Deus quer participar da sua vida. Preocupamos com as circunstâncias, mas Deus vai além delas para operar a plenitude d’Ele em nós. Algumas vezes, nos sentimos no direito de reservar alguns cômodos da nossa vida e não permitir a entrada de ninguém, nem do próprio Jesus. Você precisa entender que ao entregar sua vida ao filho de Deus, isso precisa acontecer de forma sincera e inteira. Sua vida, por completo, pertence a Deus.

Será que não estamos nos relacionando com um Deus circunstancial? Se queremos um carro novo, daí oramos. Se desejamos uma promoção, oramos. Jesus não vem, ele está dentro de nos, habita em nós. Quando Deus está em sua vida, acontece o dinamus de Deus. O dinamite de Deus, a explosão d’Ele o leva pra todos os lugares.

Quando Paulo repreendeu o espírito imundo da mulher advinha, ele disse, em nome de Jesus eu te repreendo, sai dela. A autoridade era no nome de Jesus, mas a ordem vinha de Paulo. Por quê? Porque Paulo tinha o Senhor dentro dele. No livro de Judas, o arcanjo Miguel repreende a satanás na batalha pelo corpo de Moisés em o nome de Deus. Porque os anjos são seres a serviço de Deus, mas não possuem Deus dentro deles, Por isso o salmista diz que fomos criados um pouco menores que Deus e maiores que os anjos, porque temos o próprio Deus no nosso interior. Permita Deus assumir o controle da sua vida.

Os filhos de Ceva, na ocasião de expulsão de demônio foram envergonhados porque os demônios não enxergaram a plenitude da glória de Deus neles. O que as pessoas ou seres especiais enxergam ao olhar pra você? Se estiver cheio de Deus não encontrará resistência.

 

II Timóteo 2:6 – Temos que ter controle da nossa vida, precisamos de disciplina. Você pode fazer tudo, desde que feito a quatro mãos. Romanos 8:28 – Deus está trabalhando em conjunto com o homem. Não se deve sentar-se no sofá e esperar o milagre. É preciso se qualificar, buscar o resultado do seu trabalho.

Ser mordomo significa ser aquele que coopera com Deus, fazendo tudo a quatro mãos. Os céus pertencem a Deus, a Terra, contudo é dos homens. Portanto, arregace as mangas e mãos a obra. Deus capacitou você, para que você possa fazer tudo, com Ele.

 

Gálatas 2:20 – Cristo vive em você. Paulo está nos ensinando que o filho de Deus vive em nós e não mais você e eu vivemos, por nós mesmos. Viva pela fé, porque todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam ao Senhor.

Deus tem um plano em sua vida, creia nisso. Queremos um Deus agindo por nós, quando na verdade a vontade d’Ele é agir em nós. Glória a Deus.

Sobre o Autor:

Aprendiz e seguidor de Cristo, teologia, marketing, administração, já estudei agora estudo direito. Sou marido, pai, filho, me adotaram como avô e pastor. O que mais amo na minha vida é falar da graça e do amor de Cristo. Dizer a todos que só Cristo nos dá a vida eterna.

Deixar Um Comentário